Perder peso é coisa para “gente grande”, mas e as crianças?

 

Em todas as formas de cuidado social, uma delas se destaca onde as crianças ocupam um nível que a maioria dos adultos não considera um problema tão sério. Mas, as estatísticas aumentam todos os anos com casos de obesidade infantil. É que, muitas vezes, ouvimos mais sobre o bullying que as crianças sofrem e não sobre as razões pelas quais estão sendo perseguidas pelos outros meninos na escola.

Com o tempo corrido do mundo de hoje, os pais deixam de lado alguns cuidados básicos com relação à alimentação das crianças. Para um jovem pré-adolescente obeso existe um histórico de negligência desde os dias da infância. Um jovem não fica repentinamente obeso!

Além de uma novela com final infeliz, a criança obesa pode ter razões para ingerir quantidades enormes de alimentos. O que vemos em um corpo mais intenso de calorias é o resultado de situações não tratadas. O que chegou até aqui como obesidade, pode até seguir adiante como tendências de total desajuste social. Com resultados fatais em muitas situações!

Quando nos deparamos com um caso de obesidade infantil, temos que ter em mente que isso representa somente a ponta do iceberg. A criança pode estar sofrendo com outros problemas que nunca são identificados. Por exemplo, uma criança com distúrbio de déficit de atenção pode ingerir quantidades enormes de alimentos para encobrir as dificuldades de ajustes aos padrões acadêmicos.

A melhor abordagem, antes mesmo de considerarmos qualquer tipo de dieta, é a identificação de possíveis dificuldades de aprendizagem, distúrbios de atenção, traços autistas e até transtornos de comportamento. Quando identificamos a dificuldade específica podemos acolher a criança e encaminhar a uma equipe multidisciplinar para tratamento.

Nenhum tipo de dieta poderia funcionar para um jovem obeso se não cuidarmos da causa, antes de pensarmos nos efeitos. Ao minimizar o impacto da causa, os efeitos são reduzidos mais rapidamente. Tratamos a causa e não o problema!

O início de qualquer tentativa deve ser ampla e bem estruturada, porém o fundamento de qualquer abordagem é um ingrediente importante para a reversão do cenário que está causando problema. Estamos falando de acolhimento.

O acolhimento de qualquer situação minimiza o impacto e coloca a criança em uma situação de confiança para ser cuidada de maneira profissional e eficiente. Em uma criança obesa, os outros distúrbios podem incomodar mais que o peso extra que carregam em seus corpos. Portanto, comecem acolhendo a criança e depois cuide da obesidade com dietas saudáveis.

Deixe uma resposta